Dicas

O que é necessário para programar para Android?

O que é necessário para programar para Android?

Quem deseja trabalhar em uma empresa de desenvolvimento de aplicativos precisa aprender o que é necessário para programar para Android. Afinal, o sistema operacional é a base do trabalho de um programador de aplicativos. Por isso, saber como trabalhar com ele é basicamente o “feijão e arroz” da profissão de desenvolvedor. Sem esse conhecimento, será difícil ter uma carreira de sucesso na área.

Atualmente, o Android é o sistema operacional mais usado no mundo. Isso mesmo: se você achava que era o Windows, pode trocar de opinião. O Windows é sim o sistema operacional mais usado em computadores. No entanto, os smartphones são mais populares no momento (só no Brasil existem mais celulares ativos do que pessoas) e o Android domina nessa área também.

Portanto, é importante saber o que é necessário para programar para Android. Quer aprender? Então siga a leitura abaixo!

O que é necessário para programar para Android?

Tenha o JDK

Para poder programar para Android, é necessário ter o JDK (Java Development Kit) instalado no seu computador. Isso porque esse kit de desenvolvimento conta com as ferramentas necessárias para poder construir seus aplicativos, chamar livrarias específicas de códigos e scripts a serem utilizados. Sem o uso do kit, não dá para construir os aplicativos ou testá-los dentro do seu próprio computador.

Baixe o Android ADT Bundle

Outro elemento que precisa ser baixado é o Android ADT Bundle. Na prática, ele é um ambiente de desenvolvimento do Android e um kit de desenvolvimento para o sistema operacional, com drivers, emuladores e o que mais for preciso. O JDK, que mencionamos antes, era o necessário para poder rodar o Java no seu PC. Esse kit traz um ambiente para produzir e os drivers e condições para simular o Android dentro da sua máquina. O arquivo tem mais ou menos 400 megas e pode ser baixado diretamente do site oficial do Android.

Baixe o pacote e instale-o em uma pasta vazia e cujo nome não tenha acentos ou espaços em branco. Preferencialmente, coloque-o em uma HD que seja SSD, pois assim os programas funcionarão mais rapidamente e será uma experiência mais agradável.

Tenha um smartphone para testar seus aplicativos

O SDK que você baixou para trabalhar com o Android traz um emulador. A ideia é simular o Android dentro do seu PC para que você possa testar o seu programa. No entanto, é mais recomendável testar o aplicativo em um dispositivo de testes, comprado especialmente para isso. Por quê? Porque os aparelhos contam com certos recursos que o emulador não consegue simular, como tela touch, acelerômetro, GPS, câmera… enfim, são vários recursos extras que você pode precisar para o seu aplicativo e que não estão no emulador.

Outro ponto é que os testes em dispositivos extras são mais rápidos do que em um emulador. Mesmo que ele esteja em um SSD, ainda leva algum tempo para iniciá-lo, o processamento é mais lento do que em um smartphone e existem outros elementos que tornam a experiência mais complicada. Além disso, vale a pena ter esse dispositivo para fuçar, mexer bastante e descobrir novas configurações ou combinações específicas para seus aplicativos.

O celular em si que você usar dependerá da sua meta. Se o seu aplicativo for bem simples, capaz de rodar praticamente em qualquer smartphone, então o recomendado é você comprar um celular excelente para você usar no dia a dia e deixar o seu atual para esses testes. Já se o objetivo for desenvolver games topo de linha, então é ideal ter um smartphone de testes nesse nível.

Quando tiver o dispositivo, configure-o para permitir rodar apps de fontes desconhecidas. Vá até Configurações, Aplicativos e marque a opção que permite rodar apps de Fontes Desconhecidas, já que o seu aplicativo ainda não está na Google Play. Na mesma tela, entre na opção Desenvolvimento e marque Depuração USB, para permitir depurar o código enquanto executa o aplicativo no smartphone, usando um cabo USB  para isso.

O último passo é ir no Eclipse, que é o ambiente de desenvolvimento do Android que você baixou lá atrás, e selecionar para o teste rodar no smartphone específico ligado via USB e não no emulador. Será preciso inserir o código serial do aparelho, mas isso é bem simples de fazer.

Pronto! Agora você já sabe o que é necessário para programar para Android. Dessa forma, pode colocar o conhecimento em prática para organizar seus estudos. Essas são as dicas para quem quer começar na área na prática. No entanto, se você ainda sequer entende de linguagens de programação, o primeiro passo é conhecer Java para poder dominar a linguagem usada na programação. Aprenda também sobre o trabalho com base de dados e livrarias próprias para o desenvolvimento para mobile.

E aí, gostou do conteúdo? Então compartilhe-o nas redes sociais e marque seus amigos que tenham interesse nesse material!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.